Serviços Resipim

O Pinus é uma espécie de pinheiro que possui ampla distribuição em áreas de reflorestamento principalmente nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Espírito Santo.

É uma espécie de crescimento rápido e pode viver cerca de 200 anos. É muito utilizada para a obtenção de resina, que possui qualidades químicas que proporcionam derivados de ótima qualidade, sendo muito procurados tanto no mercado interno quanto no mercado externo.

A extração comercial de resina de Pinus teve início no Brasil na década de 70 por meio de incentivos fiscais e rapidamente o país se tornou um país exportador, tendo a produção concentrada no Estado de São Paulo, e posteriormente introduzida em outros estados do Sul do país. Hoje o Brasil é o 2° maior produtor mundial e possui indústrias consumidoras de resina, das quais algumas possuem reflorestamentos e produção própria.

Resinagem – A extração da Resina

Em termos biológicos resina, ou goma resina ou óleo resina, é o nome dado ao conjunto de substâncias secretadas por algumas plantas que podem ser extraídas por meio da resinagem, por exemplo, nas árvores do gênero Pinus, e é composta por água, compostos ricos em carbono e óleos essenciais.

A resina de Pinus é extraída de maneira rústica, sendo considerada uma atividade rural extrativista e sustentável. O processo de extração da resina consiste em se fazer um corte, chamado estria, no tronco da árvore, para a retirada da casca, e em seguida faz-se um corte mais profundo, onde é aplicado uma pasta indutora do processo de produção de seiva, sem prejuízos para a árvore. Em seguida, um saco plástico reciclável é amarrado na árvore de forma que a resina escoe para dentro dele. Quando os sacos atingem uma quantidade específica da seiva, eles são levados à tambores, que ficam espalhados pela propriedade. Os resineiros transportam esses tambores para as indústrias específicas, que irão realizar a produção dos produtos breu e terebintina.

Essa ação de extração pode ser iniciada quando o Pinus atinge cerca de 10 anos e cada árvore pode gerar em média 3 kg/ano de resina. Isso torna essa atividade rentável e sustentável, pois não há danos estruturais nas árvores utilizadas.

Resina é a matéria-prima para a produção de Breu e de Terebintina. A resina, também conhecida por goma resina, é extraída por meio de resinagem de árvores coníferas do gênero Pinus elliotti Pinus tropicalis. Após a retirada, a resina ou goma resina, ou ainda óleo resina, é enviada para realização da industrialização que é feita por parceiros, a fim de tornar a resina em Breu e Terebintina que são os produtos que serão comercializados.

Breu ou Colofônia é um sólido transparente de cor amarela, produzido a partir de secreções resinosas do pinho. É utilizado para aplicações de produtos como colas, adesivos, sabões, esmaltes, isolantes elétricos, goma de mascar, ceras e expectorantes.

Terebintina ou Aguarrás é um líquido transparente com odor característico. É usada como solvente em tintas e vernizes, fabricação de corantes, ceras, desinfetantes (óleo de pinho), cânfora, sabões, graxas, inseticidas, vedantes, fixadores de perfumes, entre outros.

Missão

Buscar continuamente a máxima satisfação das necessidades e expectativas dos nossos clientes.

Visão

Ser uma empresa rentável buscando sempre ofertar produtos de alta qualidade através de técnicas sustentáveis.

Valores

Capacitação Pessoal

Melhoria Contínua

Atendimento ao Cliente

Resinas Brasil

Primeira fábrica do grupo RB fundada em 1992, dedica-se desde então, à produção de breu e terebintina. Concentra suas operações em Manduri, interior de São Paulo.

Itacol

Fundada em 2010 em Itapetininga, interior de São Paulo, faz parte do complexo industrial do grupo RB. Localizada estrategicamente na região onde se encontra uma grande quantidade de florestas de Pinus, possui alta tecnologia no processamento do breu e da terebintina. Com um sistema auto sustentável de geração de energia é a indústria do grupo com maior capacidade de produção de breu, 22.000 toneladas/ano, e terebintina, 5.000 toneladas/ano, utilizando tanto resina originária do Pinus elliotti quanto do Pinus tropicalis.

Sem mais trabalho!